top of page
  • Foto do escritorClaudia Ruzicki

Franz Seidl, o inventor do psicofone


Uma das personalidades mais marcantes do cenário parapsicológico na Áustria foi o engenheiro-eletricista Franz Seidl. Ele nasceu em Viena, em 1912; estudou eletrotécnica na Politécnica de Viena, e trabalhou em indústrias e na própria politécnica.

Ele ficou conhecido como pesquisador de vozes em fita magnética, contribuindo muito para o progresso deste campo através de seus inventos - o psicofone, o psitron, o transducer e o transcender; ficou mais conhecido ainda por causa de um aparelho que permitia que surdos, até mesmo os de nascimento, voltassem a ouvir por meio da introdução de vários eletrodos que irradiavam harmonias em alta freqüência no cérebro.

Todos esses equipamentos serviam tanto para pesquisas da voz, quanto para investigações acerca de outros fenômenos PSI; mas, acima de tudo, foi o psicofone que se tornou um importante instrumento para as pesquisas de vozes em fita magnética. Este aparelho permitia a aplicação simultânea de três métodos de recepção: a recepção em faixa ampla de rádio, o método de transmissão automática e o método do microfone. Ao mesmo tempo, as próprias conversas são gravadas na fita. Através do método de transmissão automática, fornece-se aos entes no Além energia adicional que a podem modular de maneira paranormal.

O psicofone de Seidl foi usado, ao longo de muitos anos, por muitos pesquisadores, entre eles o dr. Konstantin Raudive, com excelentes resultados. Depois da morte de Seidl, o aparelho foi copiado por muitos técnicos e engenheiros com base no esquema de circuitos do inventor, e ainda hoje continua em uso por pesquisadores bem-sucedidos. O psicofone é um marco na Psicofonia, nome dado às pesquisas de vozes em fita magnética por Seidl.

Ele mesmo diz dos seus inventos: “Na pesquisa das vozes, lidamos com outros conceitos, pois diferentes dimensões estão sujeitas a diferentes leis, fora da nossa dimensão de espaço-tempo. Por isso esses fenômenos não podem ser explicados no sentido da física convencional. Meus aparelhos são construções que antecipam a nova física transcendental, a Psicotrônica.”

O engenheiro Seidl não se dedicava exclusivamente às vozes em fita magnética. Seus interesses parapsicológicos envolviam também outros fenômenos como, por exemplo, manifestações fotográficas que conseguia durante as gravações recorrendo a outras invenções suas. Também era bem-sucedido nas tentativas de levitação feitas durante reuniões em sua casa. Seu espírito de pesquisador levou-o a ocupar-se com a fotografia de Kirlian; acima de tudo, interessava-se pela alma das plantas.

A observação dos efeitos de fatores externos sobre a vida das plantas ocupava um largo espectro das atividades de Seidl, e temos numerosas reportagens e programas de rádio e TV sobre as surpreendentes descobertas feitas por ele nesse campo.

O que mais chamou a atenção da mídia, evidentemente, foram os seus resultados em benefício dos deficientes auditivos. Sobre seus progressos na pesquisa de vozes em fita magnética, publicou ele o livrinho Phänomen Transzendentalstimmen [Fenômenos das Vozes Transcendentais].

O engenheiro Seidl recebeu várias condecorações. Pelos méritos nas pesquisas sobre energia, recebeu uma indicação para o Prêmio Getty, semelhante ao Prêmio Nobel. E, pelas grandes contribuiçōes que fez para a ciência, foi nomeado membro honorário da Organizaçāo de Pesquisa e Cultura Européia Norte-Americana “Eurafok”.

Em 1982, Seidl pretendia falar no Congresso Imago-Mundi sobre o tema “O Campo PSI como Hipótese de uma Explicação de Fenômenos Paranormais". Mas não pode realizar esse desejo. No meio dos preparativos, em 2 de junho de 1982, foi convocado para aquele outro plano de existência com o qual já mantivera frequentes contatos durante a sua vida, e ao qual dedicara grande parte das suas pesquisas.




  • Fonte: Ponte entre o Aqui e o Além, de Hildegard Schafer

19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page